Pesquisar este blog

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Turismo Ecológico e Turismo de Aventura

panoramica_mirante_Abrigo3

O ecoturismo, segundo o documento ”Diretrizes para uma Política Nacional de Ecoturismo”, publicado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com o Ministério do Turismo e Ibama, é um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações.

O ecoturismo, muitas vezes, é confundido com o turismo de aventura e, de fato, há quem inclua outras nomenclaturas como partes ou derivações de uma generalização chamada ecoturismo. Exemplos: turismo rural, turismo responsável, turismo ecológico, turismo alternativo, turismo verde, turismo cultural.

A literatura enumera alguns princípios a serem seguidos:

Os 10 mandamentos do ecoturista:

  1. Honrarás e preservarás o bom humor;
  2. Estarás sempre pronto a colaborar;
  3. Serás capaz de te adaptares aos imprevistos;
  4. Utilizarás os serviços dos guias credenciados;
  5. Não reclamarás;
  6. Não invocarás o nome do guia em vão, para perguntar se falta muito para chegar;
  7. Não considerarás chuvas, atoleiros ou pontes quebradas como imprevistos;
  8. Não poluirás o meio ambiente;
  9. Preserve e Respeite a biodiversidade, não polua as nascentes,os leitos e margens, não destrua as matas ciliares, respeite as trilhas sem criar atalhos, não degrade o meio ambiente e compartilhe a sustentabilidade.

Os 5 mandamentos do ecoturismo:

  1. Da natureza nada se tira a não ser fotos;
  2. Nada se deixa a não ser pegadas;
  3. Nada se leva a não ser recordações;
  4. Andar em silêncio e em grupos pequenos;
  5. Respeitar uma distância dos animais, evitando gerar stress (neles).

Existem algumas atividades consideradas dentro do ecoturismo como: tirolesa, cavalgada, snorkeling e flutuação, boiacross, observação de aves, ciclo turismo, observação de fauna e flora, espeologia, estudo do meio ambiente, trekking, parapente, asa-delta, balonismo, canyonismo, rafting, turismo geológico. No entanto, se não forem seguidos os mandamentos enunciados acima, não podem se enquadrar nesta definição. Além disso, dependendo do impacto ambiental causado não são consideradas boas práticas pelos ecologistas, p. ex. o canyoning em trechos de rio usados para nidificação de aves de rapina.

O turismo de aventura, entendido como uma atividade ou subproduto do Ecoturismo, atualmente, possui características próprias. É definido como movimentos turísticos decorrentes da prática de atividades de aventura de caráter recreativo e não competitivo".

A palavra aventura remete a algo diferente, ao desafio, a certo risco capaz de proporcionar a sensação de prazer, liberdade e superação pessoal, que varia de acordo com a expectativa de cada pessoa e do nível de dificuldade de cada atividade. Para tais fins, consideram-se atividades de aventura aquelas cujo prêmio é a superação de limites pessoais, caracterizadas como atividades de recreação e não de competição.

Atualmente, os impactos econômicos desse segmento não se limitam aos destinos turísticos. Diversos segmentos estão envolvidos nesta prática: fornecedores de equipamentos, seguradoras, outros produtos e atividades associadas. Diante disso e considerando as especificidades desse segmento, principalmente quanto ao quesito segurança, verificou-se a necessidade de delimitar a sua abrangência em relação a outros tipos de turismo, tanto para embasar a formulação e execução de políticas públicas como também subsidiar os interessados quanto as características e questões legais que podem implicar nas relações de mercado.

Tartaruga30 As atividades do segmento de turismo de aventura podem ocorrer em qualquer espaço: natural, construído, rural, urbano, estabelecidos como área protegida ou não e deve contemplar, em sua prática, comportamentos e atitudes que possam evitar e minimizar possíveis impactos negativos ao ambiente, ressaltando o respeito e a valorização das comunidades receptoras.Dentre as opções do turismo de aventura temos o rapel, rafting, bicicleta mountain bike, motocross, tirolesa, caminhadas, trilhas, mergulhos, pesca esportiva, arvorismo, cavalgadas, dentre outras.

A ABETA – Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura – é hoje reflexo da mobilização de empresários que buscam fortalecer os segmentos de Ecoturismo e Turismo de Aventura no Brasil, tendo como base o associativismo e a oferta segura e responsável de atividades.

Com sua organização, a ABETA ocupou espaço de destaque nas principais iniciativas de organização e desenvolvimento de Ecoturismo e Turismo de Aventura no Brasil. A entidade integra o Conselho Nacional de Turismo, coordena o Grupo de Trabalho de Turismo de Aventura do INMETRO e mantém importante diálogo e parceria com entidades como Ministério do Turismo, SEBRAE Nacional, Ministério do Meio Ambiente, Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

Você já pensou em curtir a natureza com seus familiares e amigos, desfrutando de lindas paisagens, tomando banho em cachoeiras, vendo diversos animais pelo caminho e curtindo trilhas entre as matas das mais inusitadas e aventureiras possíveis? Passar momentos de paz e reflexão ou de aventura e adrenalina, você escolhe. Quer sugestões? Veja por onde andei com minha família no meu blog de viagens - Turislogia

“A natureza proporcionou a todos a oportunidade de ser feliz, se é que ao menos se saiba fazer uso dessa felicidade”. (Claudiano)

“As árvores são nosso pulmão, os rios nosso sangue, o ar é nossa respiração, e a Terra, nosso corpo”. (Deepak Chopra).

Confira abaixo as dicas de sites de ecoturismo e aventura:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, faça sugestões, participe.